Professora da UNEB fala sobre menor pobreza relativa em Mucuri

A professora Lúcia de Fátima (UNEB/Teixeira de Freitas) aborda, neste vídeo, aspectos relacionados à constatação de menor pobreza relativa em Mucuri, como um dos sete municípios baianos em tal condição. Ela ressalta a questão da rede de cidades, dentro da qual o maior porte urbano de Teixeira de Freitas (centro regional de comércio e serviços) contribuiu para que Mucuri se desenvolvesse industrialmente sem sofrer os reflexos sociais mais negativos que esse processo envolve. Confira abaixo:

Ranúsio Cunha fala sobre a experiência do SICOOB

A equipe SEIColab conversou com Ranúsio Cunha, Diretor de Relacionamento do Sicoob Coopere. Ele abordou o surgimento do Sicoob Coopere em Valente, seus reflexos na região, como tal experiência cooperativista se mostra exitosa, como se estruturam os princípios e características do sistema financeiro Sicoob (o maior cooperativo do país), suas percepções/projeções sobre as diferentes regiões baianas nas quais está presente, suas relações com os cooperados, dentre outros aspectos. Acesse a entrevista:

Roda de conversa e seminário em Valente suscitam reflexões importantes para um maior desenvolvimento da região

Nos dias 18 e 19 de julho, a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) e a Secretaria do Planejamento (SEPLAN) realizaram, na Casa da Cultura de Valente-BA, uma roda de conversa e um seminário com o apoio da Fundação APAEB e do Codes Sisal, para ampliarem as reflexões, debates e colaborações em torno do Projeto 7 Municípios, a partir de cujos estudos, Valente ficou entre os sete municípios baianos com menor presença relativa de pobreza.

Como o processo diferenciado do desenvolvimento valentense reflete, diretamente, uma educação e uma politização de base envolvendo pequenos agricultores e suas famílias desde o final da década de 60 do século XX, houve, também, reflexos positivos disso em outros municípios do entorno, cada qual com suas peculiaridades/processos específicos dentro do mesmo contexto educacional, sociocultural e econômico amplamente visto: Conceição do Coité, São Domingos, Nova Fátima, Retirolândia, Riachão do Jacuípe, Ichu e Candeal. Por isso, assim como na região Sudoeste se formou o que identificamos como Mancha Sudoeste (a mais destacada em termos de menor presença relativa de pobreza na Bahia), Valente e os demais municípios próximos em situação intermediária estão identificados como Mancha Valente, cujo conteúdo detalhado pode ser acessado facilmente clicando sobre cada painel do seguinte link: http://estudoscolaborativos.sei.ba.gov.br/?page_id=2224

Na tarde do dia 18, a roda de conversa reuniu representantes de instituições públicas e privadas, educadores, empresários, lideranças de movimentos sociais, servidores públicos com atuação regional, a equipe da SEI e da SEPLAN para dialogarem sobre as contribuições dos estudos que geraram o Projeto 7 Municípios, sobre como se chegou à Mancha Valente e sobre como Valente, em especial, destacou-se como integrante do chamado grupo A, figurando entre os sete municípios com menor presença relativa de pobreza. Após apresentação musical de Enézio, servidor público membro da equipe técnica da SEI, Jorgete Costa deu as boas vindas aos presentes como Diretora Geral da Superintendência e, na sequência, José Barreto, Diretor de Planejamento Territorial da SEPLAN, ali representando o secretário da pasta Walter Pinheiro. Após as falas de representações da Fundação APAEB e do poder público local, o Diretor de Estudos da SEI Edgard Porto explanou sobre os principais aspectos dos processos que levaram à formação de manchas diferenciadas com maior e menor presença relativa de pobreza, fez uma perspectiva analítico-comparativa entre elas e situou Valente e região nas constatações. A partir de alguns questionamentos-chave, representantes de entidades públicas e privadas, dos movimentos sociais e de setores privados manifestaram-se sobre as questões e fizeram outras colaborações devidamente registradas pela equipe da plataforma SEIColab, para aprimoramento dos estudos, do próprio conteúdo e de futuras pesquisas/desdobramentos. Entre os presentes, estiveram representadas, por exemplo, entidades/setores como o MOC, APAEB, Fundação APAEB, Codes Sisal, SICCOB COOPERE, MUC, FATRES, Cooperafis, Secretaria de Assistência Social de Conceição do Coité, Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Conceição do Coité, Secretaria de Agricultura de Valente, Banco do Nordeste, Secretaria de Educação de Valente, Conselho Municipal de Educação de Valente, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Retirolândia, SESAB, Núcleo Territorial de Educação 04 (NTE-04), FMB e ALBA.

Na sexta-feira pela manhã, dia 19, o auditório da Casa da Cultura sediou o seminário aberto a toda comunidade, no qual estiveram presentes, além das mesmas e outras representações do dia anterior, estudantes, professores/as, agentes políticos, empresários, servidores públicos, lideranças de movimentos sociais e outros cidadãos de Valente e municípios como Conceição do Coité, Serrinha, Valente, São Domingos, Riachão do Jacuípe, Retirolândia e Salvador. Também estiverem presentes, com representações, entidades/setores como SINTRAF, Fundação APAEB, Codes Sisal, MOC, APAEB, SICCOP COOPERE, MUC, UNEB, FATRES, Cooperafis, Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Conceição do Coité, Banco do Nordeste, Secretaria de Educação de Valente, Conselho Municipal de Educação de Valente, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Retirolândia, Núcleo Territorial de Educação 04 (NTE-04), entre outras.

O seminário foi iniciado com apresentações culturais de Ezequiel Santiago (música), Enézio de Deus (música) e Bianca Nascimento (poesia) seguidas das boas vindas por parte da Diretora Geral da SEI Jorgete Costa, do Diretor de Planejamento Territorial da SEPLAN José Barreto, do representante do poder público local Sr. Gabriel Mota e do representante da Fundação APAEB Luiz Aldo Araújo. Após o Diretor de Estudos da SEI Edgard Porto explanar sobre o Projeto 7 Municípios, as pesquisas que conduziram às manchas de menor presença relativa de pobreza e os processos que marcam tais municípios e suas regiões, os técnicos Eletice Rangel (Coordenadora de Estudos Socioeconômicos da DIREST/SEI) e Enézio de Deus (EPPGG/SAEB em atividade na SEI) explanaram a respeito de como o estudo sobre a Mancha Valente ficou estruturado em três painéis (Agentes Religiosos; Educação e Associativismo; Economia e Cooperativismo) e sobre as abordagens quantitativa e qualitativa que nortearam não somente a interpretação dos dados oficiais, mas o seu confronto com o que pesquisadores de diversas universidades produziram, ao longo de anos, a respeito de Valente e região. Após tais explanações técnicas, os debates foram iniciados, diversas representações e cidadãos/ãs presentes tomaram a palavra para colaborar na plenária, a exemplo do prefeito de Conceição do Coité Francisco de Assis, da professora Valdenora Macedo, da professsora Adriana Araújo (diretora do CEEP Semiárido), de Ismael Ferreira (APAEB), do Dr. Luiz Delfino, do sr. José Melquiades, do professor Lucas Miranda, da professora Maura Miranda (CME/NTE-04), do professor Jorge Nery (MOC), do professor Jean Santos (UNEB/Serrinha), do sr. Ezequiel Santiago (MUC/FATRES), dentre outros/as presentes.

Para terem acesso às produções científicas que culminaram nas constatações a respeito de Valente e demais municípios, acessem os links a seguir das revistas temáticas da Série Estudos e Pesquisas da SEI (revistas SEP) nº 79, nº 97 e 101:

SEP 79: http://www.sei.ba.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1166&Itemid=110

SEP 97 e SEP 101: http://www.sei.ba.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=76&Itemid=284

A SEI e a SEPLAN agradecem muito a receptividade do povo valentense e de outras cidades presentes, na certeza de que os debates travados na roda de conversa e no seminário fomentaram não somente reflexões muito proveitosas “in loco”, mas agregaram novas perspectivas à continuidade do Projeto 7 Municípios e a outros projetos que, em breve, serão também parte da plataforma colaborativa de estudos SEIColab. Pelos princípios que a norteiam, dentre os quais o da transparência e o da cientificidade, qualquer pessoa pode colaborar enviando sugestões, críticas, contrapontos e agregar novos olhares às informações, o que será analisado pelo nosso corpo técnico antes da inserção definitiva. Quem já é cadastrado faz o login e quem não é se cadastra facilmente (clique em “cadastre-se”): http://estudoscolaborativos.sei.ba.gov.br/wp-login.php?

A plataforma SEIColab possui canal no YouTube, Fanpage e perfil no Instagram. Nesse, a nossa equipe vem postando, diariamente, novidades e informações. Acessem e sigam: https://www.instagram.com/seicolab/

SEIColab entrevista o Movimento de Organização Comunitária (MOC)

Com mais de cinquenta anos de atuação em programas ligados à educação no campo, ao acesso à água, à segurança alimentar, ao fortalecimento da agricultura familiar, à democratização da comunicação, à valorização do protagonismo das mulheres e outros socialmente relevantes, o Movimento de Organização Comunitária (MOC) teve um papel crucial no processo de desenvolvimento diferenciado de Valente e municípios vizinhos. A equipe SEIColab recebeu o Prof. Naidison Baptista, um dos fundadores da entidade, e o Prof. Jorge Nery, atual presidente da mesma, que relataram a trajetória do MOC desde a sua fundação em 1967, as dificuldades enfrentadas, suas principais áreas de atuação, sua missão formadora e de estímulo a outras ONGs, a exemplo da APAEB de Valente, dentre outros aspectos correlatos contidos neste vídeo.

Obs.: Imagem extraída do site do MOC.

“O sertão tem tudo que se precisa. Se faltar, a gente inventa”. Entrevista com Ismael Ferreira, ex-diretor da APAEB.

O empreendedor social e ex-diretor executivo da Associação dos Pequenos Agricultores do Município de Valente/APAEB fala sobre a trajetória da entidade e de como ela interferiu e ressignificou um conjunto de relações sócio-econômicas na Mancha Valente, promovendo melhorias nas vidas de muitos pequenos agricultores e suas famílias. Acesse a entrevista:

 

Prof. Dr. Agripino Coelho Neto é entrevistado pelo Projeto 7 Municípios

Analisando a formação do que chama de tecido associativista e das produções cooperativadas que colaboraram para a melhor distribuição de renda entre pequenos agricultores e suas famílias, o entrevistado aborda aspectos relevantes de suas pesquisas, desde a organização espacial do Território do Sisal até a questão do desenvolvimento na Mancha Valente. Acesse aqui:

Entrevista com Edinusia Santos, professora da UEFS e pesquisadora da Mancha Valente

Para a professora e pesquisadora em questão, desde a década de 80, Valente sai na frente como exemplo e modelo de uma nova dinâmica de desenvolvimento regional, por meio do associativismo e do cooperativismo. Ela destaca a importância da APAEB em Valente e municípios do seu entorno, a partir da formação e constituição de uma rede de relações sociais que foram fortalecidas e reverberaram em outras associações e entidades. Acesse a entrevista:

De pequena agricultora a educadora: entrevista com a Prof.ª Maria Rita Alves

Nascida na zona rural e filha de pequenos agricultores, ela teve motivos para sucumbir diante das dificuldades características dos homens e mulheres do campo. A coragem e a politização, no entanto, impulsionaram o seu crescimento a partir dos trabalhos de base, de organização sindical e do desejo de uma vida digna, tornando-a, dentre outras funções assumidas em sua trajetória, professora e diretora geral da Fundação APAEB. Confira nossa entrevista com Maria Rita Alves:

 

Entrevista com Edinusia Santos, professora da UEFS e pesquisadora da Mancha Valente

Para a professora e pesquisadora em questão, desde a década de 80, Valente sai na frente como exemplo e modelo de uma nova dinâmica de desenvolvimento regional, por meio do associativismo e do cooperativismo. Ela destaca a importância da APAEB em Valente e municípios do seu entorno, a partir da formação e constituição de uma rede de relações sociais que foram fortalecidas e reverberaram em outras associações e entidades. Acesse a entrevista:

Prof. Dr. Agripino Coelho Neto é entrevistado pelo Projeto 7 Municípios

SEI COLAB TEM SUA NOVA VERSÃO LANÇADA

Analisando a formação do que chama de tecido associativista e das produções cooperativadas que colaboraram para a melhor distribuição de renda entre pequenos agricultores e suas famílias, o entrevistado aborda aspectos relevantes de suas pesquisas, desde a organização espacial do Território do Sisal até a questão do desenvolvimento na Mancha Valente. Acesse aqui: